Eugenio Doin Vieira

Nasceu em São Francisco do Sul, filho de Bento Águido Vieira e de Celina Clara Doin Vieira. Bacharelou-se em direito em 1955.

Casou-se com Ângela Maria Gracia Evangelista Vieira, com quem teve Francisco Afonso, Paulo Afonso, Teresa Maria e Eugênio Carlos.

Segundo casamento com com Helga Klug Doin Vieira, tendo os filhos, Glaucia Beatriz, Glauco e Maria Eugênia.

Teve destacada atuação na vida pública catarinense. Foi professor da UFSC, Presidente do INSS, funcionário do Banco do Brasil, Secretário da Fazenda no governo Celso Ramos e deputado federal.

Ao lado de Lígia Doutel de Andrade e Paulo Macarini, formava a bancada federal do Movimento Democrático Brasileiro – MDB de Santa Catarina na Câmara dos Deputados (1967/1971).

Foi cassado, com os direitos políticos suspensos por dez anos, pelo disposto no artigo 4 do Ato Institucional Número Cinco, de 13 de dezembro de 1968.

Organizado em fins de 1965 e fundado no ano seguinte, o MDB se caracterizou por sua multiplicidade ideológica, graças sobretudo aos embates entre os “autênticos” e “moderados” quanto aos rumos a seguir no enfrentamento ao poder militar. Inicialmente raquítico em seu desempenho eleitoral, experimentou grande crescimento no governo de Ernesto Geisel obrigando os militares a extinguirem o bipartidarismo e assim surgiu o Partido do Movimento Democrático Brasileiro em 1980.

Faleceu por complicações pulmonares em São Paulo em 7 de agosto de 2009.

Anúncios