Hamilton Fernando Cunha

Hamilton

Nascimento: 1941 – Florianópolis

Assassinado: 11.02. 1969 – São Paulo.

Filho de: Filomena Maria Rosa e

Fernando Manoel Cunha

Hamilton participava do cotidiano cultural e intelectual de São Paulo, atuando em grupos de teatro e, com voz de tenor, cantava em coral.

O catarinense Hamilton Fernando Cunha, conhecido como “Escoteiro”, afro descendente e operário da indústria gráfica, foi morto em 11/2/1969, por policiais do DOPS/SP, em seu local de trabalho, a Gráfica Urupês, no bairro paulistano da Mooca.

A onda de prisões ocorrida logo após o AI-5 atingiu a rede de apoio da VPR. No início de fevereiro de 1969, Hamilton estava morando na mesma residência de outros dirigentes da organização, entre eles Carlos Lamarca, que abandonara o quartel do Exército em Quintaúna, Osasco, poucos dias antes.

Preocupado com a possibilidade de ser identificado pelos órgãos de segurança, Hamilton resolveu se demitir da gráfica onde trabalhava e, ao comparecer para assinar a rescisão trabalhista, por volta de 16 horas daquela data, foi assassinado na porta da gráfica.

Fonte: Pedro e os Lobos de João Roberto Laque – 2010;

Livro Direito à memória e à Verdade, da SDH – 2017 págs. 90 e 450.

Assassinados pela ditadura

1996 – De Luis Fernando Assunção

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s